Você sabe como se dão os nomes das rodovias no Brasil?

Para se deslocar pelo Brasil, é necessário encontrar rodovias cujos nomes se dão por duas letras, o “B” e o “R”, e três números. Mas você sabe qual é a lógica utilizada para nomear cada uma? A gente explica!

O primeiro algarismo identifica qual é o tipo de rodovia, e os dois finais indicam a posição da estrada em relação à Brasília. Entenda:

As BRs que começam com o número 0 ligam a capital federal ao restante do país. Elas são chamadas radiais, e um exemplo é a BR-060, que liga Brasília à Bela Vista, MS. Já as rodovias que começam com o algarismo 1 são conhecidas como longitudinais, ou seja, possuem sentido norte-sul. A BR 116, por exemplo, conecta o Ceará ao Rio Grande do Sul. A BR-277 é um exemplo das rodovias que passam pelo nosso país na direção latitudinal, assim como todas as outras que começam pelo algarismo 2. Elas são chamadas transversais.

As estradas iniciadas pelos números 3 são consideradas diagonais. Elas traçam caminhos no sentido nordeste-sudoeste e noroeste-sudeste. Por fim, existem as rodovias que começam com o número 4. Elas podem ser de qualquer sentido, e ligam rodovias federais à outras federais ou cidades.

Sempre que uma rodovia inicia dentro de um estado, a sua quilometragem começa a ser contada a partir do zero, que é contado a partir do ponto mais próximo de Brasília, dentro da unidade federal. Nas estradas longitudinais, conta-se a partir do norte em direção ao sul, com exceção da BR-163 e BR-174. Nas transversais, conta-se do leste para o oeste. As diagonais possuem o ponto inicial no extremo norte em direção ao sul, com as exceções da BR-307, BR-364 e BR-392.

5 dicas para segurança no transporte com silo

A segurança dos procedimentos de carga e descarga depende de você!

Mais do que qualquer outro implemento rodoviário, a segurança da carreta silo está nas mãos do motorista/ operador.
Além dos cuidados, verificações e precauções tomadas na estrada, a carreta silo exige um cuidado redobrado na operação de descarga.

Separamos 5 dicas para evitar acidentes e melhorar a performance dos implementos.

1. Antes de inciar a descarga, teste as válvulas de segurança e alívio.
2. Cuidado com a temperatura da tubulação durante a descarga pois esquentam e chegam a temperaturas altas.
3. Não entre no equipamento quando estiver carregado.
4. Durante a manutenção interna, deixe todas as tampas abertas para ter certeza de uma boa ventilação.
5. Para a manutenção da válvula borboleta, sempre desconecte a alimentação de ar.

A carreta silo ideal para sua carga está na Metalesp. A melhor carreta silo do Brasil. Entre em contato e saiba mais!

Importância dos EPI’s

Para proteger a integridade física, é importante o uso dos EPIS’s ou Equipamentos de Proteção Individual indicados.

Eles evitam o risco de lesões no caso de acidentes e também protegem contra substâncias tóxicas, alérgicas ou agressivas que podem afetar a saúde.

Durante os procedimentos de carga e descarga, utilize sempre os EPIs indicados como:
– capacete de segurança
– óculos de segurança
– protetor auricular (abafador de ruídos)
– luvas
– máscara
– calça comprida
– sapato fechado

Ao descer do caminhão, não esqueça de utilizar os EPIs.

Gostou da dica? Quer dividir outra com a gente? Deixe nos comentários.